Av. Brigadeiro Eduardo Gomes, 189 - Centro - Itaberaba - BA

Horário de Funcionamento : 24 horas
  Tel : (75) 3251-7111

Como Amamentar

Orientações Gerais

Para começar, escolha um local bem tranqüilo, procure estar só ou com companhias muito íntimas. Desligue a TV, não atenda o telefone, dê a você mesma o direito de usufruir este momento com o seu bebê. Se possível, coloque uma música. Se estiver muita tensa, respire por alguns minutos lenta e profundamente. De preferência, sente-se em uma cadeira ou poltrona com braços de apoio. Não esqueça de lavar as mãos. As mamas devem ser lavadas somente durante o banho e é recomendável, antes e depois da amamentação, passar o próprio leite nos mamilos.

O bebê deverá abocanhar o bico e a maior parte da aréola. Para facilitar, você pode estimular o reflexo de mamada roçando o bico nos cantos da boca ou no lábio inferior do bebê. Depois de abocanhar o seio, os lábios do bebê devem estar virados para fora. A duração da mamada é variável de um bebê para outro. Se não houver desconforto, deixe o bebê estabelecer esse ritmo. Com o tempo, você saberá quando o seu bebê está satisfeito.

Posições mais comuns para segurar o bebê

Tradicional – segure o bumbum do bebê de modo que a cabeça dele fique na dobra do seu cotovelo e a barriga esteja voltada para a sua. Assim ele engolirá menos ar e mamará melhor.

Invertida – esta posição auxilia a esvaziar a mama, porque altera o ponto de atrito e deixa o bebê mais acordado. Segure a nuca do bebê com a mão, apoiando o corpo dele embaixo do seu braço. Nesta posição, a barriga do bebê fica encostada na sua costela, na diagonal.

Como saber se a mamada está sendo adequada?

• A boca do bebê deve estar bem aberta, com os lábios virados para fora
• O rosto dele deve estar próximo da mama e o queixo, encostado nela
• A maior parte da aréola deve estar na boca do bebê
• Você não deve ouvir barulho de beijo ou estalo de língua
• Você pode ouvir o bebê engolindo o leite
• Você não deve sentir dor durante a mamada
• Você vê o movimento do queixo do bebê, para frente e para trás
• Ao retirar o bebê do peito, o mamilo deve ter a mesma aparência que no início da mamada, só um pouco mais longo

Quando dar o peito e por quanto tempo?

• O peito pode ser dado desde o nascimento
• Sempre que o bebê quiser
• A duração da mamada varia de um bebê para outro. Lembre-se: mais importante que a duração, é a qualidade da mamada
• Ao amamentar, ofereça os dois peitos, começando pelo último dado na mamada anterior
• Em geral, os bebês são sonolentos na maternidade. Já em casa, costumam acordar mais, em intervalos que variam de 1h30 a 4h, contados sempre a partir do início da mamada.

Como retirar o bebê do peito?

Ao perceber que o bebê está “chupetando” (realizando uma sucção ineficiente) ou que já é hora de trocar de peito, coloque a ponta do dedo mínimo no canto da boca do bebê para desfazer a pressão e soltar o peito sem machucar. Depois de terminar a amamentação é recomendável fazer o bebê arrotar. Para isso, coloque-o em pé com a cabeça apoiada no colo ou no ombro por aproximadamente dez minutos. Mesmo que o bebê arrote, é mais seguro deitá-lo de lado no berço.

Leia Mais
Gravidez

Cuidados na Gravidez

Durante a gestação, você irá passar por uma série de mudanças físicas e psicológicas. Embora o seu organismo esteja apto para sofrer essas alterações, há uma série de cuidados que podem tornar sua gravidez mais agradável e gratificante. Veja a seguir algumas das principais orientações para o cuidado com sua saúde.

Dicas gerais: 

 

  • A automedicação é algo perigoso e pode trazer sérios prejuízos à sua saúde. Utilize remédios somente após consultar seu médico.
  • A não ser que precise de repouso, mantenha uma atividade normal, sem fazer esforços excessivos. A prática de esportes leves é permitida. Evite uma vida muito sedentária.
  • O fumo é realmente prejudicial. O fumo na gravidez pode levar a recém-nascidos de baixo peso. Se não for possível evitá-lo, restrinja-o ao mínimo possível.
  • Evite fazer viagens longas. Caso sejam inevitáveis, peça orientação e autorização ao seu médico, e faça-as devagar, parando de tempos em tempos.
  • Use sutiãs de alças e base largas; se possível, tome banhos de sol diariamente nas mamas, por quinze minutos.
  • Para fortalecer os mamilos, provoque atrito com uma toalha após o banho. Evite o uso de cremes ou pomadas hidratantes nos mamilos.
  • Evite aumento excessivo de peso; faça uma dieta balanceada.
  • Caso surjam estrias, use cremes ou óleos apropriados, que podem ser úteis também para reduzir o prurido e o desconforto.
  • Pode surgir uma pigmentação acentuada no rosto, chamada máscara gravídica. Isto ocorre devido às altas taxas de dois hormônios femininos que agem sobre a melanina. Sugestão: evite expor a mancha (máscara gravídica) ao sol, para não acentuá-la.
  • Caso sinta congestão nasal ou falta de ar, eleve a cabeceira da cama, assuma a posição sentada ou deite-se do lado esquerdo a fim de aliviar a falta de ar. Use um tampão e eleve a cabeça para trás, em caso de epistaxe (sangramento nasal).
  • Contra azia, alimente-se de pequenas quantidades de alimentos várias vezes ao dia; não deite logo após as refeições, tome água gelada entre as refeições; e evite alimentos ácidos ou condimentados, ou ainda gordurosos em excesso.
  • Para combater náuseas e vômitos, faça uma alimentação matutina leve; ingira líquidos e sólidos separadamente; mastigue bem os alimentos; e, caso saiba os horários do dia em que os sintomas costumam aparecer, tente se alimentar 30 minutos antes.
  • Por fim, se você apresentar um quadro de obstipação e flatulência, procure ingerir alimentos ricos em resíduos (fibras) e faça caminhadas.Dicas para o sistema ósteo-articular: 

    Por causa do aumento do útero, ocorrerá um desvio do centro de gravidade, levando à presença de lordose.

    As câimbras ocorrem em função da hiperdistensão do músculo, falta de cálcio ou compressão do útero.

    No final da gestação, você pode se sentir mais pesada. As dores na região lombar são decorrentes do aumento de peso da barriga, que sobrecarrega as articulações e a região abdominal.

    Sugestões: 

  • Utilize sapatos de salto baixo.
  • Não permaneça muito tempo em pé.
  • Assuma a postura de “Buda” para evitar lombalgias.
  • Sente-se sempre com as costas retas, e se necessário coloque uma almofada para ter melhor apoio.
  • Ao levantar-se da cama, faça-o com movimentos suaves, espreguiçando-se, pois isto é bom para as articulações e para a musculatura.
  • Faça exercícios de alongamento, quando orientada.
  • No caso de câimbras, friccione o local dolorido e faça compressas quentes na região.Dicas para o sistema circulatório: 

    Podem aparecer varizes e edemas, devido ao aumento da pressão nos membros inferiores, causada pelo peso do útero sobre as veias periféricas.

    Sugestões: 

    a) Para varizes 

  • Não fique em pé ou sentada durante muito tempo.
  • Repouse sempre que possível.
  • Evite o uso de meia ¾ com elásticos.
  • Se possível, use meia-calça elástica.
  • Quando sentada, apóie os pés em um banquinho.
  • Repouse em decúbito lateral esquerdo.
  • Eleve os membros inferiores algumas vezes ao dia.
  • Movimente os pés quando sentada.b) Para edema
  • Repouse em decúbito lateral direito.
  • Eleve os membros inferiores.
  • Se permanecer sentada por muito tempo, mexa as pernas e pés para ativar a circulação.Atenção: Caso apareça edema no rosto ou nas mãos, procure orientação médica.

    Dicas para o sistema geniturinário: 

    Você pode ter vontade de urinar com uma freqüência maior. Isto acontece devido ao aumento da pressão do útero sobre a bexiga, ocorrendo em especial nos três meses iniciais e no final da gestação.

    Um aumento da secreção vaginal é normal. Se a gravidez estiver evoluindo bem, as relações sexuais poderão ser mantidas até o oitavo mês de acordo com a orientação médica.

    Sugestões: 

  • Atenda sempre ao desejo de urinar.
  • Beba bastante líquido.

 

Leia Mais
Cuidados em casa

Cuidados em Casa

Os primeiros dias em casa são uma mistura de aprendizado, dúvidas e transformações. As informações a seguir constituem um roteiro que deve ser flexível e adaptado a cada família e seu pediatra. Três dicas básicas, antes de detalharmos os cuidados que você deve ter com o seu bebê:

• Se possível, providencie com antecedência alguns materiais que serão muito úteis quando vocês voltarem para casa. São eles: algodão, cotonetes, sabonete neutro, tesoura de unhas, escova de cabelo, álcool (70%) e creme para assaduras.

• É comum que os bebês solucem e espirrem muito. Isso é normal e não requer maiores cuidados.

• Uma congestão ou ronco nasal discreto também é comum após o nascimento e podem persistir por algumas semanas. Geralmente não requerem nenhum cuidado especial

A HIGIENE DO BEBÊ

Fraldas

A área coberta pelas fraldas deve ser limpa com água morna. No
caso das meninas, tenha um cuidado especial e limpe a área genital sempre da vulva em direção à região anal.
Há uma grande variedade de marcas de fraldas descartáveis no mercado. Algumas contêm um pó perfumado que pode irritar a pele do bebê.

O banho

O banho deve ser dado diariamente. Para o maior conforto do bebê e uma higiene completa, oferecemos algumas recomendações:

• Em dias frios, escolha a hora mais quente do dia
• Em dias quentes o horário é livre e você pode dar mais de um banho
• O banho deve ser um momento calmo e relaxante. Por isso, prepare com antecedência o material que vai ser usado
• Os primeiros banhos devem ser rápidos
• Não é necessário que a água seja fervida
• Procure deixar a temperatura da água semelhante à do corpo do bebê
• Encha apenas o fundo da banheira
• Antes de colocar o bebê na água, passe um pouco dela no rosto e na cabeça dele
• Ao lavar as costas, com o bebê de bruços, cuidado para que o rosto não toque a água
• Dê preferência ao sabonete neutro
• Comece pela cabeça e face e depois desça em direção aos pés
• Lave o pescoço, peito, braços, abdômen e pernas, certificando-se de lavar as dobras do pescoço e as axilas
• Você pode notar uma substância esbranquiçada nas dobras. É uma cobertura protetora que envolvia o bebê antes do nascimento
• Certifique-se de lavar a área genital por último
• Enxágüe com água limpa e, a seguir, seque bem

Detalhes adicionais do banho:

Ouvidos – limpe apenas a parte externa com uma bola de algodão embebida em água, sem penetrar no canal auditivo. Seque bem atrás da orelha.

Olhos – limpe cada pálpebra com uma bola de algodão embebida em água. Limpe do canto externo para o interno.

Face – use apenas água.

Cabelos – você pode utilizar uma escova macia para estimular o couro cabeludo.

Mãos e pés – lave e seque bem entre os dedos.

Região genital – algumas meninas podem ter uma pequena quantidade de sangramento ou secreção vaginal. Eles são causados por hormônios transmitidos pela mãe e não são motivo de preocupação.

Atenção: não use colônias, talcos ou cremes sem a indicação do pediatra.

O curativo do umbigo

O curativo do umbigo deve ser feito 3 vezes ao dia, utilizando álcool 70%. Certifique-se de elevar o coto suavemente, de modo que o álcool atinja a área em que o cordão se insere na base. Se houver secreção ou sangramento, faça o curativo sempre que trocar a fralda. Aos poucos, o coto ficará mais endurecido, seco e escuro. A maior parte cai até a segunda semana de vida e um pequeno sangramento é normal. É importante que esta área esteja sempre seca e deve-se evitar o atrito com as roupas. Durante o curativo, o bebê pode reclamar da temperatura fria do álcool.

AS ROUPAS E O AMBIENTE

As roupas do bebê

Não coloque roupas em excesso, nem apertadas demais. As mãos e os pés do bebê são sempre mais frios que o resto do corpo, por isso, não servem como guias para a escolha da quantidade de roupas. Dê preferência a roupas de fibras naturais, como algodão, cambraia, linho, e que tenham aberturas laterais, nas costas ou na frente, evitando as que têm de ser colocadas pela cabeça do bebê. Lave separadamente as roupinhas, fraldas, babadores, roupas de berço e toalhas com sabão neutro (de coco). Não é aconselhável o uso de qualquer tipo de amaciante. As roupas devem ser passadas com ferro quente e guardadas em lugar limpo e fechado.

O quarto do bebê

A limpeza do quarto onde o bebê dorme e seus objetos é muito importante e requer cuidados especiais. Cortinas, carpetes e grande quantidade de bichinhos de pelúcia devem ser evitados. Acumulam pó e podem causar alergia. Abra diariamente as janelas para que o ambiente possa ser ventilado e receba iluminação natural. Quanto ao berço do bebê, é recomendável que o colchão seja revestido com material plástico e limpo freqüentemente. Nos primeiros meses é melhor não usar travesseiros. Eles podem ser substituídos por uma fralda presa nas laterais do berço, na altura da cabeça do bebê. Evite colocar o berço embaixo de janelas. Se possível, deixe todo o material necessário para a higiene do bebê em um só lugar (a cômoda, por exemplo). É bem mais prático.

O CHORO DO BEBÊ

O choro é uma forma de comunicação e nem sempre significa um sofrimento. Se o bebê chorar ao acordar, tendo já passado algum tempo da última mamada, a primeira possibilidade é que seja por fome. Em dias mais frios, se o bebê recusar o peito, tente agasalhá-lo um pouco mais ou, ao contrário, em dias mais quentes, vista nele uma roupa mais leve. Ele pode também estar incomodado pela necessidade de arrotar ou por uma fralda suja.

CÓLICAS

Excluindo fome, frio ou calor, as cólicas podem ser a causa do incômodo do bebê. Elas aparecem em determinadas horas do dia, especialmente a partir do final da tarde. A sua ocorrência pode estar relacionada à ansiedade e insegurança dos pais, a uma rotina confusa ou a um ambiente agitado. Medidas simples, como colocar a criança de bruços e aquecer sua barriga através de uma massagem suave, podem ser suficientes para resolver o problema. As cólicas podem piorar se você oferecer o peito, embora o bebê também possa procurá-lo em momentos de dor.
Use medicamentos somente por recomendação do pediatra.

As fezes do bebê

As primeiras fezes do recém-nascido são chamadas de mecônio. São pastosas, consistentes, de coloração verde-musgo e inodoras. Com o tempo, as evacuações serão mais freqüentes, mais líquidas, mais claras e eliminadas juntamente com gases. E sempre sem cheiro, o que as diferencia de uma diarréia infecciosa.

Leia Mais
Anatomia das mamas

Anatomia das Mamas

As mamas são glândulas que atingem o ápice do seu desenvolvimento durante a gravidez e amamentação. Situam-se no tórax e são formadas pelos tecidos glandular (produção e liberação de leite), celular ou conjuntivo e gorduroso.

Na base da mama temos de 18 a 20 estruturas (tecido glandular) semelhantes a cachos de uva. Ali acontece a produção do leite, que posteriormente será conduzido através de ductos ou canalículos próximos da região areolar, formando os depósitos ou bolsões de leite que se afinam novamente até o mamilo.

As mamas são preparadas no período de gestação para realizar a produção de leite. O responsável pelo estímulo a essa produção é o próprio bebê, através da sucção correta. No momento do parto já é possível, para a maioria das mulheres, visualizar o colostro, mas, caso você não o visualize, não se preocupe, basta o bebê sugar algumas vezes que o colostro começará a sair.
Ao sugar, o bebê estimula as terminações nervosas existentes na aréola que geram impulsos que vão até a hipófise (glândula localizada no cérebro) e estimulam a liberação da prolactina (hormônio responsável pelo estímulo à produção de leite). A prolactina ativa o tecido glandular e o leite materno é produzido.

A ocitocina, outro hormônio que também é produzido após o estímulo da sucção, é responsável por liberar o leite para o bebê. A ansiedade, dor, dúvidas, estresse e insegurança inibem o reflexo de expulsão do leite.

Vale a pena lembrar que o volume de leite produzido é proporcional ao estímulo de sucção do bebê. Se a mãe quiser aumentar a produção de leite, basta estimular o bebê a sugar um maior número de vezes e por mais tempo. Ela não deve perder uma mamada para economizar leite, pois isto fará com que as mamas produzam menos leite.

ATENÇÃO – O leite também pode diminuir por outros motivos, tais como:

  • técnica de mamada incorreta;
  • horários rígidos;
  • oferecer complementos;
  • oferecer bicos e/ou mamadeiras;
  • estresse – fator emocional importante;
  • cansaço.

    Tipos de mamilos 

    Os mamilos são facilitadores no processo da mamada. Quanto mais salientes forem, mais fácil será o processo do aleitamento. Contudo, o tipo de bico não é um obstáculo intransponível para a amamentação. É necessário haver estímulo, paciência e determinação até que você e o bebê estejam adaptados a esta nova situação. Lembre-se: o seu mamilo é próprio para o seu bebê.

    Seguem abaixo os diferentes tipos de mamilos e os cuidados pertinentes.

    Mamilo Protuso 

  • Saliente.
  • Mais de 90% da população possui este tipo de mamilo.

    Cuidados: Exercícios de rotação – com os dedos indicador e médio, realize movimento de rotação de um lado para o outro, tracionando levemente para fora. Use concha para os seios. Deixe-os arejados.

    Mamilo Curto 

  • Pouco saliente, pode apresentar-se elástico ou pouco elástico.

    Cuidados: Exercícios de rotação – com os dedos indicador e médio, realize movimento de rotação de um lado para o outro, tracionando levemente para fora. Use concha para seios.

    Mamilo Plano 

  • Está incorporado à região areolar.

    Cuidados: Exercícios de rotação mais freqüentes. Use conchas para seios.

    Mamilo Pseudo-invertido 

  • Apresenta-se contrário ao protuso, respondendo ao estímulo de forma variável de acordo com a elasticidade.

    Cuidados: Exercícios de rotação + Hoffman orientados segundo orientações médicas / concha para seios.

    Mamilo Invertido 

  • Apresenta-se contrário ao protuso; nunca responde ao estímulo, precisa de acompanhamento mais perto do profissional do GAAM.

    Cuidados: Nunca indicamos o bico de silicone para nenhum dos casos sem antes avaliar a mamada.

 

Leia Mais
Alimentação da gestante

Alimentação da Gestante

Todas as pessoas necessitam de uma alimentação variada e equilibrada para manter o bom estado nutricional e de saúde, mas no período de gestação isso é ainda mais importante. Caso você tenha dificuldade em seguir uma alimentação mais equilibrada ou deseje saber se está no caminho correto, procure a orientação profissional de um nutricionista.

Dicas para uma alimentação saudável

– A alimentação deve ser monitorada a partir do primeiro mês de gravidez, para garantir sua saúde e disposição e contribuir para a boa formação do bebê.

– Alimentar-se adequadamente também reduz o desconforto digestivo e a ocorrência de náuseas e vômitos, evitando a perda de peso.

– Prefira alimentos leves, com menor quantidade de gorduras e frituras. As preparações assadas, cozidas ou grelhadas são as mais indicadas.

– Diminua o intervalo entre as refeições; alimente-se pelo menos a cada três horas (em horários regulares). Tenha sempre à mão uma barrinha de cereais ou uma fruta, ou ainda biscoitos cream cracker.

– Coma devagar, mastigando bem os alimentos.

Consuma bastante líquido ao longo do dia, mas não durante as refeições.

– Aumente o consumo de leite e derivados; ingira no mínimo três xícaras de leite por dia. A indicação do consumo de cálcio é de 1200mg por dia. Para você ter uma idéia dessa medida, uma porção de 100g de queijo branco contém 685mg de cálcio; já 200ml de leite equivalem a 228mg, e 200ml de iogurte têm 240mg dessa substância.

– Reduza o consumo de sal (na preparação dos alimentos, em enlatados, salame, azeitona, queijo parmesão). Sal em exagero aumenta a retenção de líquidos no organismo, provocando inchaço e pressão alta.

– Consuma folhas cruas na forma de saladas temperadas com limão, que é fonte de vitamina C.

– Consuma, pelo menos uma vez ao dia, grãos de feijão, lentilha, grão de bico ou ervilhas (de preferência no almoço).

– Aumente a ingestão de fibras (cascas, bagaços, sementes de frutas e verduras cruas, frutas secas, cereais integrais).

– Não deite ou sente logo após as refeições.

– A pirâmide abaixo é indicada para todos os tipos de pessoas; durante a gestação, recomenda-se o aumento do consumo de cálcio.

Pirâmide dos Alimentos:

Dicas para um cardápio básico

Café da manhã(7h) Laticínios: leite ou iogurte ou queijo minas
Pão integral ou francês
Margarina ou geléia
Frutas ou sucos de frutas
Lanche matinal(10h) Vitaminas de frutas + barra de cereais ou frutas + biscoito salgado (3 a 4 unidades) +margarina
Almoço 12h30 Verduras e legumes crus ou cozidos
Arroz integral ou branco ou massas
Carne / peixe ou frango
Sobremesa – fruta ou doce
Lanche vespertino 15h30 Leite semidesnatado + café + bolachas ou torrada (3 a 4 unidades)
Jantar 19h30 Verduras e legumes crus ou cozidos
Arroz integral ou branco ou massas
Carne / peixe ou frango
Sobremesa – fruta ou doce
Ceia 21h ou 22hs Mingau de aveia + fruta ou iogurte + fruta

 

Leia Mais
Alimentação do bebê

Alimentação do Bebê

O leite materno é o alimento exclusivo do bebê até os seis meses de vida. A primeira papa salgada é introduzida em sua dieta a partir dessa idade, e o jantar, quinze dias após a introdução da papa. Recomenda-se também oferecer a gema de ovo (cozida) desde o início da nova alimentação; a clara de ovo e o peixe podem ser servidos a partir do nono mês. Nesse período, é possível variar o cardápio oferecendo ao bebê carne de frango ou fígado de vaca. Confira abaixo mais algumas sugestões de alimentos, indicados pelo serviço de Nutrição do Hospital da Chapada:

Refeição 6 a 7 meses 7 a 8 meses 8 a 10 meses 12 meses
Manhã Leite materno Leite materno Leite materno Leite materno ou leite de vaca
Pão ou biscoito
Intervalo Suco de fruta Suco de fruta Papa salgada Suco de Fruta
Almoço Leite materno Papa salgada Papa salgada Papa ou refeição
da família
Lanche Papa de fruta Leite materno Papa de Fruta Leite materno Papa de Fruta Leite materno Papa de Fruta Leite materno ou
leite de vaca Pão ou biscoito
Jantar Leite materno Leite Materno Papa Salgada Papa ou refeição
da família
Noite Leite Materno Leite materno Leite materno Leite materno
ou leite de vaca

 

 

SUCOS E PAPAS DE FRUTAS

O bebê pode comer todo tipo de fruta ou tomar qualquer suco, desde que aceite.

As frutas devem ser variadas, mas sempre oferecidas uma a uma, para que ele se acostume com os vários sabores.

PAPA SALGADA
Introduzir a papa salgada, a partir dos seis meses, preparada com legumes como batata, abobrinha e cenoura. Depois de três ou mais dias, acrescentar carne (pode-se usar qualquer tipo de carne, bovina, frango, peixe, após os 09 meses) .O ovo pode substituir a carne; usar somente a gema, a partir dos seis meses, e a clara após os 09 meses de idade.

A papa deve conter de três a quatro alimentos diferentes. A mistura de mais sabores confunde a criança. O melhor é tentar não repetir a papa durante a semana, para que o bebê conheça mais sabores.

Alimentos novos devem ser introduzidos gradativamente, para se identificar possíveis alergias. Por isso não se recomenda misturar duas frutas para a elaboração do suco, pois assim fica mais difícil saber qual delas causou o desconforto;

Utilizar pequenas quantidades de óleo, sal e cebola para temperar as papas salgadas.

Cereais (arroz e milho), farinhas, batata, mandioca e macarrão devem estar em maior quantidade para dar volume e calorias.

Para amassar a papa recomenda-se o uso do garfo, e não batê-los no liquidificador. A papa liquefeita ou peneirada não estimula mastigação.

 

Leia Mais
aleitamento

Aleitamento Materno

O aleitamento materno oferece a alimentação mais saudável e segura para o bebê, pois o leite humano tem mais de cem componentes, na quantidade exata para o desenvolvimento de seu filho. Afinal, é leite humano para humanos. Além dos fatores nutricionais e imunológicos, o ato de amamentar cria um vínculo afetivo e psicológico maior entre a mãe e o bebê, o qual recebe não só alimento, mas amor, carinho e proteção.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o bebê seja amamentado exclusivamente até o sexto mês de vida, para só então se fazer a introdução de novos alimentos, mantendo o aleitamento até os dois anos de idade.

A decisão sobre a duração do aleitamento virá da interação entre a mãe e o bebê, levando em conta o seu tempo e a organização de sua vida. Saiba, porém, que é possível manter o aleitamento mesmo trabalhando fora, basta solicitar orientação ao seu pediatra.

Vamos conhecer agora um pouco mais sobre a natureza do leite materno e seus benefícios para o bebê – para a mamãe.

Durante o período de amamentação, você pode produzir três tipos de leite:

Colostro: é o primeiro leite que o bebê mama. Chega a durar doze dias, é espesso, de cor clara ou amarelada e é importante para o recém-nascido porque contém uma grande quantidade de anticorpos que reforçam as defesas do bebê.

Leite de transição: é a passagem entre o colostro e o leite maduro. Nesta fase, a quantidade de calorias aumenta.

Leite maduro: é o leite que tem os componentes na proporção exata para o bebê e sua produção se estenderá até o final do período de aleitamento.

Numa mamada de leite maduro, o primeiro terço constitui o assim chamado leite anterior, mais rico em água. Os dois terços restantes formam o leite posterior, mais gorduroso. Por isso, é importante que o bebê esvazie ao menos uma das mamas a cada mamada. Apesar de todas as vantagens, muitos ainda desvalorizam os benefícios do leite materno, destacamos a seguir os mais importantes para o seu bebê e para você.

Benefícios do aleitamento para o bebê

• É um alimento mais adequado do ponto de vista nutricional.
• Fornece anticorpos.
• É de fácil digestão.
• Passa da mãe direto para o bebê, o que evita sua contaminação.
• Diminui a possibilidade de surgirem problemas alérgicos e respiratórios.
• A probabilidade de ocorrerem diarréias é menor do que com o uso de outros leites.
• Tem papel fundamental no desenvolvimento da arcada dentária.

Benefícios para a mãe

• Favorece a perda de peso.
• Favorece a volta do útero ao tamanho original, com redução de perda de sangue.
• Diminui a chance de ocorrência de câncer de mama.

Tanto para você quanto para o seu bebê, a amamentação é um momento de contato íntimo, que fortalece o vínculo entre vocês.

Leia Mais